quinta-feira, setembro 28, 2023
spot_img
InícioMeio AmbienteOrganizações sociais de Juazeiro realizam Audiência Popular para discutir Projeto de Lei...

Organizações sociais de Juazeiro realizam Audiência Popular para discutir Projeto de Lei que visa reduzir APP do Rio São Francisco e legalizar construções

Cerca de 20 organizações públicas, movimentos sociais e entidades de apoio, além de dezenas de ativistas, estudantes e ambientalistas estão envolvidos/as na construção de Audiência Popular que vai acontecer na próxima quarta-feira, dia 28, no Espaço Multieventos da Univasf, em Juazeiro (BA).

A necessidade da Audiência Popular surgiu após o presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente – CMMA, Islédio (Leo) Bandeira, decidir pela não realização de uma audiência pública para debater com a sociedade o Projeto de Lei da Prefeitura de Juazeiro que visa reduzir de 500 para 100 metros a Área de Preservação Permanente (APP) nas margens do Rio São Francisco. 

O estudo apresentado pela prefeitura não apresenta justificativa técnica para tal redução no trecho que vai desde a comunidade quilombola Barrinha da Conceição, localizada vizinha ao Rodeadouro, até a antiga fazenda Mariad. “Uma área de aproximadamente 800 ha (8,00km²) ao longo de 16,27 km do Rio São Francisco”, aponta o relatório da prefeitura de Juazeiro que denomina toda essa área como perímetro urbano. A primeira versão do relatório foi assinada por um profissional sem vínculo algum com a gestão, após questionamento por membros do CMMA, passou a ser assinado pela bióloga Emille Mayara de Carvalho Souza e por Pedro Augusto Bastos Ribeiro.

O evento popular acontecerá a partir das 9h e já conta com confirmações de representantes do legislativo municipal e estadual, órgãos ambientais do governo do estado, além de universidades públicas, organizações civis, movimentos sociais da cidade e do campo, imprensa e população em geral. As organizações que estão compondo a comissão organizadora tem ocupado as redes sociais e concedido entrevistas em programas de rádios desde o dia 15 de junho e assim alargado o debate com a sociedade, recebendo manifestações de apoio ao movimento ambientalista e contrários ao PL.

Entenda o caso

Conforme o que determina o Código Florestal brasileiro, a APP de rios como o São Francisco precisa ser de, no mínimo, 500 metros. Em 2021, o presidente Jair Bolsonaro sancionou uma lei que permite os municípios legislarem sobre rios federais que cortam seus territórios. Com base nisso, o Governo Suzana Ramos está propondo esse PL municipal, sob a justificativa de que o trecho em questão já não possui os 500 metros preservados. Ou seja, ao invés de propor a recuperação ou compensação da APP ocupada ilegalmente ao longo dos anos, a gestão atual quer legalizar o erro histórico e seguir construindo empreendimentos privados nesses 16 km.

O levante popular ocorreu após o secretário de Meio Ambiente votar contra a realização da audiência pública para ouvir a sociedade, inclusive usando de estratégias imorais – por exemplo fazendo ligações para Conselheiros/as que já haviam se ausentado da reunião – para conduzir a votação durante reunião ordinária do Conselho de Meio Ambiente no dia 14 de junho, mesmo mês em que se celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente.

A prefeitura previa aprovar o projeto na Câmara antes do recesso parlamentar, o que não aconteceu devido a movimentação popular. As organizações estão também adotando medidas legais junto à justiça comum, além de recorrer ao regimento do CMMA para exigir toda transparência necessária num caso desse.

A comissão organizadora do evento tem convidado as pessoas e organizações a se fazerem presentes na audiência e a colaborarem com a mobilização de mais pessoas, tendo em vista que se trata de um assunto de interesse de todos/as, independente de política partidária, religião, etnia ou classe social, idade, afinal o rio é patrimônio natural do município e todas as pessoas que vivem em Juazeiro dependem dele, portanto cuidar do mesmo é uma obrigação coletiva.

Estão envolvidas nesta discussão a Universidade Federal do Vale do São Francisco – Univasf, a Ordem dos Advogados do Brasil – OAB Juazeiro,  o Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada – Irpaa e Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia – Adab Juazeiro, enquanto membros do Conselho de Meio Ambiente. 

Se somaram a estas a Associação de Advogadas e Advogados pela Democracia, Justiça e Cidadania, Coletivo Enxame, Movimento Popular de Cidadania – MPC, Setorial de Meio Ambiente e Desenvolvimento – Smad e Setorial de Combate ao Racismo – PT Juazeiro, União das Associações do Vale do Salitre – UAVS, Promotoras Legais Populares – PLP, Câmara de Turismo Sertão do São Francisco, Conselho Pastoral dos Pescadores/as – CPP, Colegiado Territorial Sertão do São Francisco, Articulação Quilombola, Frente Negra do Velho Chico, Povos de Terreiro, Articulação Semiárido Brasileiro (ASA), Rede Nacional de Mulheres Negras, Associações de Bairros, Movimento dos/das Trabalhadores/as Sem Terra (MST), Movimento de Atingidos/as por Barragens (MAB), além do vereador Mitu do Sindicato e ativistas ambientais de Juazeiro e região. O movimento conta ainda com o apoio do mandato do deputado estadual Zó (PCdoB), da deputada estadual Neusa Cadore (PT) e do deputado federal Jorge Solla (PT/BA).

Serviço

O que? Audiência Popular em defesa do Rio São Francisco e contra PL que visa reduzir APP

Quando? Dia 28/06, 9h

Onde? Espaço Multieventos – Univasf Juazeiro-BA

Entrada gratuita, não é necessário fazer inscrição previamente.

Ascom

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -...

Most Popular

Recent Comments