Justiça do Paraná reconhece parcialidade e racismo no processo de cassação do vereador Renato Freitas (PT/PR) e suspende votação

0
70

A Secretaria de Combate ao Racismo do PT Bahia comemorou a decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), expedida nesta quinta-feira (19), pedindo a imediata suspenção da sessão de votação do processo de cassação do vereador Renato Freitas (PT).

A Justiça reconheceu a parcialidade dos membros do Conselho de Ética da Câmara e do relator do processo, o vereador Sidnei Toaldo (Patriota), que também é o dono do e-mail enviado a Freitas com ofensas racistas.De acordo a decisão judicial, assinada pela juíza da 5ª Vara da Fazenda Pública, Patrícia de Almeida Gomes Bergonse, o “referido e-mail apontaria parcialidade e interesse do relator, além de conter injúrias raciais, circunstâncias que se vieram a ser apuradas verdadeiras, poderão levar ao afastamento do relator e nulidade procedimental. Isso porque, a Comissão Parlamentar Processante que tem por objetivo o julgamento de um de seus pares, deve ser órgão imparcial”.

Dessa forma, a votação fica suspensa pelo prazo da sindicância aberta pela Corregedoria da Câmara para apurar a autoria e veracidade do e-mail recebido por Renato Freitas no dia anterior à votação do Conselho de Ética, que aprovou o relatório que pede a cassação do mandato.”

É uma vitória contra as estruturas racistas da política brasileira. Essa decisão reconhece a perseguição racial contra Freitas e o pano de fundo nesse processo tendencioso de cassação, que só objetiva calar um mandato negro, que luta por igualdade racial e contra o racismo.

Parabéns à defesa de Freitas e o povo negro unido!”, declara o secretário de Combate ao Racismo do PT Bahia, Ademário Costa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.