Sessão na Câmara de Juazeiro reúne professores e alunos da UNEB

0
34

Sessão na Câmara de Juazeiro reúne professores e alunos da UNEB

Câmara de Vereadores de Juazeiro realizou na tarde/ noite desta terça-feira (16), Sessão Especial para discutir o movimento grevista do Campus III da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), no município, que reúne o Departamento de Ciências Humanas (DCH) e o Departamento de Tecnologia e Ciências Sociais (DTCS), através dos cursos de Comunicação Social Jornalismo em Multimeios, Pedagogia, Direito e Agronomia. Presidida pelo vereador, Alex Tanuri (PSL), o debate foi secretariado por, Charles Leal (PDT) e Aníbal Araújo (PTC).

Uma Comissão será formada para intermediar

Segundo o presidente, “a UNEB tem história em nossa cidade e nada mais justo do que nós vereadores irmos ao Governo Estadual intermediar essa situação. Sinto-me no dever, juntamente com os vereadores, de ajudar no desenvolvimento da cidade e universidade”, disse.

“Desde 2017 quando assumimos esta legislatura todas as sessões foram para discutir assuntos de interesse da população E quando Fernando Dantas me ligou para fazermos esta sessão eu não medi esforços junto com os vereadores. Faremos uma carta e uma Comissão será criada, para levá-la ao Governador, Rui Costa. Sabemos da crise financeira, mas o mais importante é a Educação ser valorizada. O prefeito, Paulo Bomfim, se colocou à disposição para intermediar esse movimento e iremos também através dos deputados que representam essa região” concluiu Alex Tanuri.

Representantes da UNEB

O professor do curso de Direito, Luís Eduardo, utilizou a palavra e expôs a situação da Universidade. “Nós temos um processo de sucateamento. A UNEB passa por esse período, inclusive um dado: está faltando papel higiênico. Pincel, os professores têm que comprar. São exemplos para mostrar o nível dessa crise. O que ocorre é uma opção política para atender o capital financeiro”, lamentou.

A estudante do curso de Comunicação Social, Iasmin Pereira Monteiro, leu uma carta elaborada por alunos dos quatro cursos. “O Sucateamento afeta o cotidiano do corpo acadêmico, já que o Governo Estadual vem promovendo contingenciamento dos recursos orçamentários. As vagas da Residência Estudantil são limitadas e a estrutura carece de manutenção. Não existe restaurante universitário. Faltam papeis de ofício, precisamos colocar em práticas os ensinamentos aprendidos em sala de aula, mas não temos manutenção nos equipamentos. Viemos aqui hoje para exigir do Governo as melhorias no Campus” disse.

Já o estudante do curso de Direito, Éricles Nunes, destacou que “o movimento reivindica por mais autonomia financeira e administrativa da universidade; futuro e continuidade da pesquisa e extensão; fim do contingenciamento de gastos; míseros 7% da receita líquida de impostos”, ressaltou.

A professora, Maryângela Aquino, questionou: “Qual é a dificuldade do Governo do Estado em atender as reivindicações das universidades estaduais? O que nós sabemos é que o impacto de gastos do Governo com a universidade é mínimo. Estamos desde 2015 sem seque um aumento salarial. Nós temos perdidos direitos conquistados. Então gostaríamos de contar com o apoio dos senhores como políticos no sentido de compreenderem a nossa realidade e defenderem a UNEB”, pontuou.

O professor, Josemar Pinzoh, parabenizou a Câmara pelo empenho na questão. “Pela primeira vez eu vejo um número maior de vereadores e vejo uma atenção maior ao que a gente está falando. Então, eu queria agradecer pelo gesto da audição. Estamos aqui por que os vereadores assumem uma instância de poder que nós não temos. E essa é uma Casa de Poder que tem articulações políticas importantes, que pode fazer com que haja a sensibilização do governador Rui Costa”, salientou.

Compromisso dos vereadores

Os vereadores, Neguinha da Santa Casa (MDB) e Florêncio Galdino (PDT), ressaltaram a preocupação com a causa. “Estamos à disposição de vocês. E sei do compromisso e responsabilidade e nós vamos lutar juntos”, disse Neguinha. “É muito triste após anos e anos de serviços prestados a UNEB chegar a esse ponto de sucateamento”, complementou Galdino.

Allan Jones (PTC) e Josafá Mota (PTC) também estão empenhados e ajudar a resolver a situação. “Nós vereadores estamos imbuídos nesta causa. Nós somos corresponsáveis e contem de agora e de sempre com cada um de nós”, salientou Jones. “O que eu puder fazer para defender a instituição farei. Que ela possa continuar formando profissionais para o campo de trabalho de Juazeiro e toda região”, lembrou Mota.

Anastácio (PC do B, Reinaldo Sabino (PC do B) e Inaldo Loiola (PC do B), falaram e expuseram o desejo de lutar pelos direitos do povo. “Nós somos solidários aos professores e alunos da instituição. Nós não podemos de forma alguma, enquanto representantes do povo aceitar as mazelas. A verdade tem que ser dita: há muito tempo a UNEB vem se agonizando. Tenho certeza que teremos um bom resultado junto ao governador”, resumiu Anastácio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here