Convidado para ministro por Bolsonaro, Paulo Guedes é citado em fraude milionária

0
75

O economista Paulo Guedes, apontado pelo candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) como seu ministro da Fazenda em caso de eleição, é citado em um processo recém-julgadpo pela Justiça Federal como beneficiário de um esquema de fraude que provocou perdas milionárias na Bolsa de Valores ao fundo de pensão dos funcionários do BNDES (Fapes).

As informações são da revista digital Crusoé. Segundo a reportagem, os documentos reunidos no processo apontam que a empresa de Paulo Guedes, GPG Participações, faturou R$ 600 mil em apenas dois dias de operação na Bolsa por meio de uma fraude, conduzida pela corretora Dimarco, que fechou as portas em 2008. No mesmo período, o Fapes, conduzido pela mesma corretora, teve um prejuízo de R$ 12 milhões. Os clientes citados como beneficiários, incluindo Paulo Guedes, ganharam R$ 5 milhões.

A setença foi proferida no último dia 3 de julho pelo juiz Tiago Pereira, da 5º Vara Criminal do Rio de Janeiro. Ele havia condenado três dirigentes da Dimarco a quatro anos e oito meses de prisão por gestão fraudulenta.

Paulo Guedes não chegou a ser processado, mas seu nome é citado quatro vezes na sentença e sua empresa é citada 27 vezes.

Investigação não avança sobre Paulo Guedes

Como o foco da investigação estava sob a corretora, ela não avançou sobre Paulo Guedes. De qualquer maneira, o magistrado é claro ao concluir que as fraudes cometidas pela corretora beneficiaram aquele que é colocado com guru econômico de Bolsonaro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here