Empresa irá plantar 252 árvores como compensação ambiental pela requalificação da Adolfo Viana

0
46

 

Por Gardennia Garibalde/SEDUR

A obra de requalificação da Avenida Adolfo Viana está entre o pacote de 10 grandes obras apresentadas pelo prefeito Paulo Bomfim na programação comemorativa dos 140 anos da cidade. A intervenção fará com que a principal avenida da cidade passe a ter calçadas amplas, em toda sua extensão, redimensionamento do canteiro central, ciclofaixa, nova postiação com iluminação em led, recuperação do pavimento asfáltico nas áreas de intervenção, melhorando as condições de acessibilidade e mobilidade, facilitando a vida de pedestres e motoristas.

“Para promover a mobilidade e acessibilidade tão necessárias na Av. Adolfo Viana, foi necessário o redimensionamento do canteiro central e com isso a supressão de algumas árvores nele existente que começamos a executar hoje. Essas árvores, conhecidas como ficos são consideradas plantas exóticas, que apresentam raízes superficiais e danificam calçadas, pavimento, arruamento e até edificações. Estaremos suprimindo 63 unidades que serão substituídas por 81 palmeiras imperiais que apresentam raízes mais profundas e são esteticamente mais adequadas para o paisagismo de um canteiro que serve como delimitação entre duas vias”, explica o titular da SEDUR Hemerson Guimarães.

Para dar início às obras de requalificação, foi necessária a realização de um estudo de impacto ambiental, e posteriormente a elaboração de um Termo de Compromisso de Compensação Ambiental, junto à Secretaria de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (SEMAURB), para ser celebrado junto à empresa executora da obra.

De acordo com o Secretário de Meio Ambiente Agenor Souza, todo o estudo foi feito com o objetivo de não causar prejuízos ecológicos no entorno, devido à mudança. “De acordo com o termo firmado para cada árvore suprimida outras 4 nativas deverão ser plantadas, em locais escolhidos pelo município. Como serão suprimidas 63, teremos 252 novas árvores nativas plantadas pela empresa, que deve ser realizado num prazo de 6 meses, após a data da assinatura do termo”, destaca o secretário Agenor Souza.

O engenheiro civil da SEDUR Bismarck Cavalcanti explica que após a supressão das árvores será iniciada a colocação do meio fio delimitando o novo canteiro central. “Em seguida vamos recompor o pavimento asfáltico do entorno, depois vem a implantação do sistema elétrico subterrâneo em substituição do aéreo hoje existente e finalizamos com o plantio das palmeiras imperiais, para seguir para o trecho seguinte do canteiro central” , ressalta o engenheiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here